Encerramento da campanha com o apoio da Associação de Duque de Caxias

À esquerda Agostinho Guerreiro, Teneuza Cavalcante (presidente da ADAE) e Arciley Pinheiro, com engenheiros da Associação

No fechamento de sua campanha à reeleição do Crea-RJ, Agostinho Guerreiro se reuniu na noite de ontem (07), em Duque de Caxias, com a Associação Duquecaxiense de Arquitetos e Engenheiros (ADAE). Na ocasião, o candidato expôs alguns dos seus feitos à frente do CREA-RJ e contou com o apoio da entidade. A avaliação da campanha é positiva, após muitas reuniões em diversas regiões do estado e com empresas e entidades representativas.

Segundo a presidente da ADAE, Teneuza Maria Cavalcante, a gestão de Agostinho foi muito boa para a região. Mesmo tendo participado por 6 anos de outra gestão anteriormente, Teneuza avalia que sua entidade teve toda a atenção possível por parte do Crea-RJ nos últimos três anos.

“Tive o respeito, a consideração, e o tratamento da entidade da forma que ela existe e sem se pensar no que eu participei no passado. Tive de Agostinho lisura, tudo o que eu podia ter em matéria de empenho e desenvolvimento da minha associação. Houve para a gente um tratamento igualitário. Todos os inspetores foram nomeados na gestão anterior, e até o presente momento eles continuam na gestão do Agostinho tendo dele a mesma consideração e respeito que sempre tivemos de todo o sistema”, afirma Teneuza.

Panfletagem em frente à Petrobras, no Centro do Rio

Agostinho panfletando

Na manhã desta quinta – feira (03/11/2011), em frente a sede da Petrobras, na Rua Almirante Barroso, Centro do Rio, Agostinho Guerreiro distribuiu seu material de campanha à reeleição do CREA-RJ, e reencontrou numerosos amigos, colegas e eleitores. Com uma grande circulação de funcionários, muitos engenheiros declararam apoio à sua candidatura. Veja abaixo alguns dos depoimentos:

 

Antonio Martins (Engenheiro de Meio Ambiente da Petrobras): Eu estou apoiando a reeleição do Agostinho, assim como na eleição passada, porque ele cumpriu o que tinha se proposto na sua campanha: fazer um Crea mais democrático e transparente. Como ponto positivo tem o respeito aos servidores e critério no gasto do dinheiro da instituição. O Crea pode fazer mais, junto à sociedade. Tem um papel do Crea que é defender a qualidade do serviço prestado pelos engenheiros e empresas, além de ser preciso ficar perto dos movimentos sociais, como, por exemplo, a campanha do petróleo em benefício do povo brasileiro.

Guaraci Corrêa Porto (Engenheiro Civil, ex – diretor do CREA, ex – Conselheiro do Clube de Engenharia): Eu apóio a candidatura do Agostinho à presidência do Crea-RJ, porque o conheço pessoalmente, sei do trabalho que ele fez em sua vida profissional e nos trabalhos ligados ao Crea-RJ. E creio que seja a melhor opção para o nosso Crea, que já viveu momentos tão difíceis. Então eu peço aos colegas que na hora do voto no dia não deixem de votar e lembrem-se desse nome, Agostinho Guerreiro.

Henrique Sotoma (Engenheiro da Petrobras): São três candidatos que nós temos e ele é o melhor. Pelo menos em termos de atuação acho que é o mais adequado para nossa atual conjuntura política brasileira e, principalmente, de engenharia. E acho que nós devemos atuar mais na área que afeta o povo em geral.

Jose Carlos Miragoya ( Engenheiro Mecânico da Petrobras há 33 anos): O Agostinho tem feito um bom mandato à frente do Crea, tem participado bastante. Tem corrigido alguns desvios que o Crea tinha em matéria de inspeção e mal controle junto à engenharia nacional. É por sua atuação que eu estou defendendo a candidatura dele.

Eduardo Machado (ex – diretor do Sindipetro): Gostaria de declarar meu voto para o candidato Agostinho Guerreiro à presidência do Crea-RJ, porque temos visto uma gestão dinâmica. A gente já o conhece há muitos anos, de sua militância em muitas áreas: sindical, política, nas entidades de classe. Então é um nome que faço questão de declarar meu voto, como um candidato que vai ao encontro dos anseios da categoria de engenheiros.

Após reunião com profissionais da engenharia em Volta Redonda, Agostinho segue com mais apoio

Agostinho Guerreiro com os presidentes do Sindicato e da Associação locais e professores de Volta Redonda.

Agostinho Guerreiro se reuniu na noite de ontem (31), no Sindicato dos Engenheiros de Volta Redonda, com sindicalistas, técnicos, professores, dentre outros profissionais da área, para falar sobre sua gestão no Crea-RJ. O candidato apontou suas próximas prioridades para a instituição e saiu com o apoio dos profissionais na região.

Guerreiro relatou sua experiência no Crea-RJ nos últimos 3 anos, antes de responder às questões apresentadas pelos participantes. “O que está em jogo é um período de três anos, e não uma eleição. Cheguei no Crea-RJ e fiquei impressionado com o modelo de gestão que havia ali, uma relação interpessoal e clima pesado entre os servidores. Precisava ser feito alguma coisa.O Alto nível de absenteísmo e a baixa produtividade do trabalho eram vistos como uma coisa absolutamente normal”, observou.

Com a sua entrada na instituição, alguns métodos foram mudados no sistema. Seu objetivo foi perseguir melhorias para dentro, com vista em melhorar para fora a entidade. Nesse sentido, viabilizou a capacitação dos profissionais ao novo sistema e potencializou o estímulo ao trabalho, gerando nova motivação no ambiente. “Fizemos um planejamento estratégico e conseguimos a ajuda de pessoas do próprio sistema, por meio de reuniões sistemáticas”, explicou.

Os sinais de que estava no caminho certo vieram de fora, e graças a um trabalho em equipe: o Crea-RJ recebeu o Prêmio de Igualdade de Gêneros, acompanhado pela Secretaria de Políticas para as Mulheres; pela primeira vez a entidade foi eleita à Coordenação do Colégio de Presidentes; e também pela primeira vez passou a coordenar o Colégio de Entidades Nacionais (CDEN); foi, inclusive, reconhecido pelo certificado Gespública, acompanhado pelo Ministério do Planejamento. Único a conseguir o Certificado da Gespública de nível 2.

O próximo passo é se inscrever no ISO (International Organization Standardization). Apesar de críticas que sempre acontecem, o Dieese realizou uma pesquisa que apontou para um alto grau de satisfação em relação aos serviços prestados pelo Crea-RJ. “Nosso sistema corporativo tinha há 9 anos um projeto de comunicação via tecnologia da informação. As empresas tinham sala e pagamentos, mas não saia nada dali. Tivemos a coragem de estabelecer prazo e avançar. O Crea não tinha a propriedade da inteligência produzida dentro de seu estabelecimento, e agora temos um novo sistema que é totalmente nosso, um dos melhores do Brasil, se não for o melhor”, destacou.

Sandro Rosa, presidente da Associação de Engenheiros de Volta Redonda, disse que apóia sua candidatura, mas ponderou a necessidade de mais reuniões e proximidade com as entidades regionais. Nesse sentido, Guerreiro lembrou da criação do Colégio de Entidades Regionais (CDER) no 1° semestre deste ano, que possibilitará mais reuniões entre as entidades lhes dando, inclusive, mais autonomia por causa da institucionalização dos encontros.

Da esquerda para a direta: Sandro Rosa, presidente da Associação de Engenheiros de Volta Redonda, João Thomaz, presidente do Senge-VR e Agostinho Guerreiro.

Guerreiro recordou a participação do Crea-RJ junto à sociedade. Graças a sua colaboração explosões em bueiros no Rio foram interrompidas; o estádio do Engenhão não teve mais apagões, e foram dados encaminhamentos após a tragédia do bondinho em Santa Teresa, dentre outras intervenções em benefício da população. “Nesse ponto fomos exemplo, o Crea não se omitiu. Em São Paulo a OAB chegou antes que o Crea para resolver o problema no Metrô paulista, por exemplo”, disse um engenheiro.

Outras realizações apontadas por Agostinho são o plano de Cargos, Carreiras, e Salários, que até então só existia no papel no Crea-RJ e a renovação dos transportes, incluindo ar condicionado e GPS para fiscalização.

A Universidade foi tema bastante discutido no encontro.  Agostinho reconheceu que parte dos professores sentem-se desconfortáveis com o pagamento da ART (Anotação de Responsabilidade Técnica) ou do CREA, mas esclareceu que é preciso equilibrar as reivindicações das universidades com o Confea. Os avanços na área, como a criação do prêmio Oscar Niemeyer, que valoriza os alunos, professores e a própria universidade, têm sido expressivos.

Outro ponto de preocupação dos engenheiros é a descaracterização do profissional, pois muitas empresas estão empregando nomenclaturas distintas da de engenheiros para reduzir a remuneração. “Era assim dentro do próprio Crea-RJ, disse Agostinho. Isso era feito para não pagar o salário mínimo do profissional. Acho que nós precisamos continuar com parceiros, como a Polícia Federal e o Ministério Público, para uma fiscalização mais efetiva. Por exemplo: foi realizada uma fiscalização nacional que achou 600 profissionais estrangeiros irregulares em 6 estados. Temos que montar um planejamento, pensar em qual empresa atuar e chamar os parceiros. Isso começa a criar um clima que inibe tais iniciativas”, concluiu.

Presidente do Sindicato dos Engenheiros de Volta Redonda apóia Agostinho Guerreiro

João Thomaz (presidente do Sindicato dos Engenheiros de Volta Redonda) – A gente está apoiando o Agostinho Guerreiro pela segunda vez. Nós não nos arrependemos de termos apoiado ele, devido ao compromisso que ele teve em relação ao saneamento da própria estrutura do Crea. A instituição cresceu como entidade, começando a pagar o piso salarial de seus funcionários. Ele renovou o Crea-RJ. Então a plataforma política dele não foi apenas na palavra, foi na ação. E hoje nós estamos adquirindo um respeito maior frente às empresas, aos profissionais. A maioria da diretoria do Sindicato dos Engenheiros está o apoiando. A gente pretende também avançar nas questões sociais da região sul fluminense, a região de Volta Redonda, e o Agostinho também está apoiando aqui e por isso vamos fechar com ele.

Veja! Declarações públicas de apoio à Agostinho em confraternização no comitê de campanha.

Agostinho Guerreiro realizou em seu comitê de campanha, na noite de sexta – feira (28), no Centro do Rio, uma confraternização para os apoiadores de sua candidatura à reeleição para a presidência do Crea-RJ. Cerca de 30 pessoas participaram do encontro, e algumas delas explicaram por que estão empenhadas na reeleição de Guerreiro. Confira abaixo:

Edson Avellar (ex-governador do Rotary Club do Rio) – Eu acho que o Crea tem um compromisso com o Guerreiro de elegê-lo mais uma vez para que ele continue a excelente administração que vem realizando, no sentido da valorização do profissional de engenharia. E no sentido de tornar a engenharia, através do Crea, reconhecida como um baluarte na defesa da democracia e do estado brasileiro. Além das suas realizações, o mais importante é o espírito altamente democrático que ele imprimiu no Crea. O compromisso que nós, que formamos o colégio eleitoral do Crea, temos com o Agostinho Guerreiro é elegê-lo para que continue esse trabalho.

Arnaldo Cardoso Pires (ex-presidente da Cedae) – Eu tive uma convivência muito grande com o Agostinho em várias entidades da sociedade civil, e em todos esses lugares por onde ele passou ele deixou a sua marca de grande administrador: sério, competente, e sempre fez crescer a entidade da qual ele estava participando. Assim como já fez nesse primeiro mandato no Crea. Por isso, eu voto nele e peço aos companheiros que acompanhem o meu voto.

Luiz Oswaldo Norris (Ex-presidente da Light) – Eu acho que a proposta do Agostinho  é muito boa, porque ele tem se mostrado um excelente presidente do Crea do Rio de Janeiro.

 

 

 

Jorge José de Lima (professor) – Eu admiro o Agostinho pela nobreza dele, pelo ser humano e pela forma de homem que ele apresenta e conduz as reuniões do Crea. Depois por causa da atuação dele perante a sociedade, nós vemos nos meios de comunicação ele sempre mostrando uma forma profissional, por isso eu o apoio.

 

Marcio Paulo Oliveira (engenheiro eletrônico da IBM) – Vou apoiá-lo porque sou seu amigo e eu acho que ele fez um Crea de forma muito inteligente, tranquila e séria até agora como presidente. Ele foi um dos melhores presidentes que eu conheci do Crea.

 

 

Clovis Nascimento (Diretor do Sindicato dos Engenheiros – Senge) – Eu apoio o Agostinho porque ele tem feito um belo trabalho a frente do Crea-RJ. Pelo seu compromisso ético, democrático, com a transparência e a inovação. Então eu acredito que o Crea-RJ precisa ainda desse compromisso para que o seu trabalho se sedimente mais, se solidifique e que a população possa receber do Crea um serviço de excelência.

 

Cenildo Mendonça (Engenheiro) – O Agostinho Guerreiro é uma pessoa cuja gestão tem sido de grande transparência, ele tem produzido um ótimo resultado no Crea. Então é uma pessoa de bastante confiabilidade e por isso eu estou empenhado na campanha dele. É uma pessoa que eu acredito, e as gestões dele anteriores no Clube de Engenharia foram de um trabalho muito bom. Eu espero que ele continue e possamos continuar contando com o seu trabalho.

Oscar Boechat (engenheiro civil) –    Eu tenho um grande prazer de estar aqui hoje com vocês nessa reunião que está congregando os apoiadores do nosso querido Agostinho Guerreiro, que além de Agostinho é um grande Guerreiro. Sua personalidade marcou o  Clube de Engenharia, marcou sua passagem por onde ele tem estado dando a sua presença. E ele assume total responsabilidade por tudo o que ele trabalha e faz. Em outras palavras, ele é um Guerreiro e faz gol. Eu o admiro, sobretudo, por essa característica de estar sempre presente, sempre batalhando e lutando, e o senso de responsabilidade social e associativa que ele tem. De maneira que eu prevejo para a administração do Agostinho Guerreiro no Crea uma grande oportunidade para ele mostrar mais uma vez a sua competência administrativa, de conduzir e liderar pessoas. De maneira que é o candidato que adoto com muito orgulho para o próximo período do Crea.

Antonio Eulalio (Conselheiro do Crea e do Clube de Engenharia) – Eu praticamente sou padrinho dessa candidatura, porque eu propus que ele se candidatasse, e sempre apoiei. Porque eu acho que é uma pessoa correta, tem feito muito pelo Crea e pelos engenheiros. E agido com lisura dentro do Crea, com transparência, isso é que me faz apoiar e continuar apoiando.

 

Manoel Lapa (Vice Presidente do Clube de Engenharia) – O Agostinho Guerreiro eu já conheço há bastante tempo, porque ele já foi presidente do Clube de Engenharia e eu na ocasião era diretor em sua gestão. É uma pessoa muito séria, que eu boto a minha mão no fogo pela honorabilidade dele, por sua capacidade de trabalho. É uma pessoa totalmente dedicada às causas da engenharia, da tecnologia, defesa da empresa nacional, defesa do engenheiro brasileiro. E eu acho que ele fez uma excelente gestão no Crea nesses primeiros 3 anos, e acredito que ele e nós merecemos a sua reeleição por mais um mandato.

Engenheiros e Associação de Nova Friburgo apóiam candidatura

O engenheiro Leiner Rezende, Agostinho Guerreiro e José Augusto Spinelli, presidente da Associação de Engenheiros e Arquitetos de Nova Friburgo. Foto: Nelson Alvarez.

Agostinho Guerreiro se encontrou na tarde de ontem (25), em Nova Friburgo, com o presidente da Associação de Engenheiros e Arquitetos local, José Augusto Spinelli, e outros engenheiros para falar sobre os encaminhamentos na cidade após a tragédia que ocorreu com os temporais no início deste ano. Os profissionais manifestaram apoio à sua candidatura.

“O Agostinho foi o esteio que fez a Associação continuar um bom caminho, tivemos muito apoio dele. Então nós estamos fazendo uma retribuição ao trabalho que ele prestou a gente, e eu da associação e um grupo de engenheiros somos imensamente gratos e estamos com ele”, disse Spinelli.

O presidente da Associação também destacou que está faltando os projetos entrarem em pauta na região, pois as verbas estão sendo liberadas com muita lentidão. Ele observou que aumentaram as dificuldades, pois os rios encontram-se assoreados, e no último sábado (22) houve uma chuva que fez subir mais de um palmo de água na cidade, que também está com seus bueiros obstruídos. No entanto, algumas iniciativas estão buscando a prevenção de outro desastre em Nova Friburgo, observou o engenheiro.

“Chuva de verão vai haver, o que nós estávamos conversando era a prevenção dos locais que já eram de risco e outros que passaram a ser. Está havendo uma movimentação de ONG’s, estão cadastrando as pessoas da área de risco, distribuindo celulares para os líderes locais, rádio amador, aviso do rádio de Friburgo e rotas de fugas para abrigos em cada localidade. Então está havendo uma preocupação exatamente de evitar mortes, porque possivelmente vai ocorrer algum acidente geológico no verão. A ideia é diminuir ao máximo o número de possíveis vítimas”, observou Spinelli.

Agostinho lembrou de sua entrevista dada à época na televisão, quando alertou a população de que os riscos de acontecer outro acidente em Nova Friburgo são grandes.

“O foco da entrevista foi criar a prevenção de preservar vidas. Porque se chover muito, por questões topográficas e históricas, existe a possibilidade de outra tragédia. Tem que trazer o sistema que já está montado em algumas áreas do Rio para cá, a fim de detectar a chegada de grande chuva e alertar com sirene. Não resolve o problema, mas o aviso prévio dá possibilidade da pessoa se salvar, especialmente se houve treinamento para isso”, disse Agostinho.

Sebastião José Martins Soares apóia nossa candidatura ao CREA-RJ

“Apoio e voto em Agostinho Guerreiro para a Presidência do CREA-RJ, pela sua história, pelos seus compromissos e pelo excelente trabalho realizado à frente do CREA-RJ”.

Sebastião José Martins Soares foi Superintendente do BNDES e Presidente do Conselho do Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas.